Estudos

"Eu recomendo a Técnica Alexander para pessoas que não melhoraram com as terapias tradicionais de reabilitação. Parte da dor pode ser devido à postura e ao uso impróprio do corpo. Muitas pessoas que têm dores no pescoço ou nas costas e passaram por terapia térmica, ultrassom e massagem sem alívio, pode ser ajudada com o aprendizado da Técnica Alexander. A técnica funciona. Como alguém versado no uso de fisioterapia e biofeedback, sei o quanto essa técnica é valiosa. Eu a recomendo enfaticamente."

Barry M. Scheinfeld, MD, Especialista em Medicina de Reabilitação e Tratamento da Dor, Community General Hospital, Harris, NY

A Técnica Alexander vem sendo estudada cuidadosamente em muitos estudos acadêmicos. Todos os estudos foram publicados em revistas científicas ou apresentados em conferências.

 

Você também pode pesquisar por “Alexander Technique” em pubmed.govsciencedirect.com para mais estudos publicados.

 

 Alexander Studies Online (ASO)   - é uma plataforma acadêmica com entradas em material de pesquisa diretamente relacionado com a Técnica Alexander.

 

Você pode encontrar mais sobre pesquisas de AT em:

Associação Brasileira da Técnica Alexander - ABTA

Sociedade Americana para a Técnica de Alexander - AmSTAT

A sociedade de professores da Técnica Alexander - STAT

Reduções na co-contração após reeducação neuromuscular em pessoas com osteoartrite de joelho

Preece, Stephen J.; Jones, Richard K.; Brown, Christopher A.; Cacciatore, Timothy W.; e Jones, Anthony K. P. BMC Musculoskeletal Disorders. Publicado Agosto 27, 2016

Seguindo as instruções da T.A, houve uma redução significativa na dor e rigidez do joelho e uma melhora na função que parecia ser mantida 15 meses após o início do estudo. Este estudo demonstra a eficácia potencial de intervenções, como a T.A, que podem modificar com sucesso os padrões de ativação muscular em pacientes com OA de joelho.

As aulas da T.A melhoram os fatores de dor e desempenho em alunos do ensino superior de música

 

Janet Davies Sydney Conservatorium, University of Sydney, Macquarie St, Sydney, NSW, 2000, Austrália

 

Aulas de T.A com um propósito específico podem contribuir para o gerenciamento da dor de RP e dos fatores de risco pertinentes em estudantes de música, portanto, é necessária uma investigação mais aprofundada do papel potencial das aulas de T.A em programas de prevenção da dor. Relatórios de benefícios em uma gama de habilidades relacionadas ao desempenho reforçam a relevância para a prática e a apresentação musicais.

Relaxe: instruções posturais específicas afetam a rigidez axial e a iniciação de passos em pacientes com doença de Parkinson

Cohen, Rajal et al (2015). Neural Rehabilitation & Neural Repair, Journal of the American Society of Neurorehabilitation

 

As instruções baseadas na técnica de Alexander dada a pessoas com doença de Parkinson levaram à redução da oscilação postural, redução do tônus ​​postural axial, maior modificabilidade do tônus ​​e um centro de pressão mais suave da trajetória durante o início do passo, possivelmente indicando maior eficiência de movimento.