• Pedro Henrique

Procedimentos Dart: Evolução do movimento

Atualizado: 16 de out.


Quem foi Raymond A. Dart?

Raymond Arthur Dart (1893 - 1988) foi um anatomista, antropólogo, professor e paleontólogo australiano que se tornou famoso após descobrir a “Criança de Taung" (1925), um crânio fossilizado de um jovem Australopithecus Africanus. Dart levantou percepções significativas sobre a evolução humana ao descrever sua interpretação e descoberta em sua obra mais famosa, Adventures with the Missing Link (1959). Dart reconheceu o crânio, os dentes e a mandíbula da criança de Taung pertencente a um humanóide em vez de antropóide ou simiesco (Century of Nature, 2003). Apesar do cérebro consideravelmente pequeno, a observação de Dart sobre a posição anterior do forame magno, o orifício na base do crânio, indicou que o hominídeo havia caminhado sobre duas pernas. Essa descoberta mostrou que a postura ereta é muito mais antiga do que o cérebro e suas funções cognitivas que temos nos dias de hoje. Podemos ver isso em nosso processo de desenvolvimento, no qual primeiro aprendemos a ficar de pé antes de aprendermos a falar, aparentemente espelhamos de alguma forma a sequência pela qual nossos ancestrais evoluíram. (Erik)


Esta contribuição de Dart não agradou a comunidade médica na época, deixando-a quase esquecida. Um dos motivos da rejeição foi a interferência da hierarquia científica que não queria aceitar que a humanidade tivesse evoluído da África do Sul.


Essa descoberta mostrou que a postura ereta é muito mais antiga do que o cérebro e suas funções cognitivas que temos agora.

Raymond e Marjorie Dart tiveram um filho, Galen, que nasceu prematuro e teve ataques de cianose, deixando-o com lesão cerebral e espasmos. Em sua intensa busca por ajuda para a condição de seu filho, Dart inspirou-se na Técnica Alexander, na qual ele e seu filho frequentaram aulas com Irene Tasker na década de 1940. Mais tarde, quando em Londres, Dart conheceu e teve aulas com o próprio Frederick Matthias Alexander. Ao longo dos anos, ele escreveu sobre o trabalho de Alexander e contribuiu com muitos artigos científicos importantes de um aspecto anatômico-neuro-muscular. (Wheelhouse 1998; p.225)

Em 1946, Dart discutiu em ‘The Postural Aspect of Malocclusion’ que o alinhamento anormal entre os dentes na mandíbula oposta é devido a um defeito postural causado por musculatura desequilibrada da cabeça e pescoço relacionada à postura corporal como um todo. O interesse de Dart pela evolução e manutenção do bipedalismo encontrou na Técnica Alexander uma forma prática de explorar alguns movimentos que representam os processos de desenvolvimento humano. Em 1950, ele escreveu "Voluntary musculature in the human body: The double spiral arrangement", obra que cobria a embriologia dos músculos esqueléticos humanos e seu arranjo em espiral dupla, e particularmente deformidades posturais. (Wheelhouse 1998, p.226)

Dart criou movimentos adicionais para complementar aqueles ensinados nas lições da Técnica Alexander que de alguma forma ajudaram a condição de seu filho. Essa sequência de movimento agora é conhecida como procedimentos Dart. Os artigos de Dart foram coletados em Skill and Poise (STAT Books, 1996), que inclui 'The Postural Aspect of Malocclusion' (1946), 'The Attainment of Poise' (1947) e 'Voluntary Musculature of the Human Body: The Double-Spiral Arrangement '(1950).

Quais são os procedimentos Dart?

Os procedimentos Dart é uma série de posições e movimentos que refazem o caminho dos padrões de desenvolvimento e evolução humana. Em 'The Postural Aspect of Malocclusion', Dart chamou essas sequências de 'as fases pronógrado e ortógrado da evolução postural'. A descrição de Erik Bendix sobre os procedimentos do Dart nos deixam algum entendimento sobre o que Dart estava examinando (Bendix, 2012):

Os procedimentos Dart examinam a relação entre as diferentes posições de suporte de peso e o efeito que essas posições têm no sistema nervoso. Por exemplo, uma parte dos procedimentos orienta a pessoa através da experiência de fazer uma transição do suporte de quatro apoios para o suporte de dois apoios. Dart experimentou sustentando o peso em diferentes juntas dos dedos das mãos, como provavelmente foi feito pelos ancestrais humanos (já que outros membros da família dos macacos também se levantam e andam sobre as juntas dos membros anteriores). O peso é então removido das mãos para liberar os braços e para completar a transição para o apoio bípede sobre os pés. Essas mudanças de peso são uma parte do repertório de movimentos humanos diários. O que torna seu desempenho diferente nos procedimentos DART é seu propósito e como eles são explorados. Cada transferência de peso dá tempo para ser totalmente observado em seus efeitos na respiração e na reorganização do equilíbrio. O próprio Dart estudou esses movimentos, observando-se em cada posição por até vinte minutos de cada vez, antes de parar para fazer anotações extensas.

Ao aprender os movimentos ou posições, temos a oportunidade de aprender sobre nossos padrões de movimento.

Os artigos de Dart cobriram a embriologia dos músculos esqueléticos humanos e seu arranjo em espiral dupla, com referência particular às deformidades posturais. Mais tarde, seu trabalho sobre o desenvolvimento humano contribuiu para métodos práticos de tratamento de deficientes físicos e mentais. (Wheelhouse 1998, p.227) Em 1967, Joan e Alex Murray foram a Londres para visitar seu professor da Técnica Alexander, Walter Carrington. Naquela época, Alex estava curioso sobre o papel dinâmico da mandíbula no equilíbrio da cabeça, então Carrington sugeriu que Alex lesse o artigo de Dart "The Postural Aspects of Malocclusion”.

Alex ficou fascinado pelo trabalho de Dart, que passou vários dias copiando à mão e começou a explorar as descrições por si mesmo. Mais tarde, Alex e Joan começaram a explorar os procedimentos de Dart, que lhes deram uma nova compreensão do movimento humano, e que estava de acordo com o que eles haviam entendido sobre o trabalho de Alexander. (Direction vol 1,3 pág. 69)

A contribuição de Murray deu luz a uma nova maneira dinâmica de ensinar a Técnica Alexander, explorando os movimentos rotacional das curvaturas da coluna vertebral humana. Ao aprender os movimentos ou posições, temos a oportunidade de aprender sobre nossos padrões de movimento. Dart sempre disse: “O homem só pode olhar para a frente na medida em que pode olhar para trás”. Esses padrões nos levam de volta às origens do movimento humano e abrem perspectivas correspondentes para nosso futuro como seres humanos móveis. É necessário acrescentar que trabalhar com estes Procedimentos não ensinará a ninguém a Técnica Alexander. No entanto, uma investigação paciente e inteligente por alguém sem experiência no método Alexander pode ainda levar a certa iluminação, revelando padrões de movimento ineficientes e ajudando a descartá-los. (Direction vol 1,3 pág. 69)

Referência:

Bibliografia:

Wheelhouse, Frances; Raymond Arthur dart: His life and Work (Department of History / University of Sydney, pg.225-226, 1998).

Murray, Alexander; The Dart Procedures (Direction 1, no. 3: 68-71, 1998).

Raymond A. Dart, Skill and Poise: Articles on Skill, Poise and the F.M. Alexander Technique (STAT Books, 1996, ISBN 0- 9519304-5-1 hardback), edited by Alexander Murray.


Web pages:

Bendix, E. (2012). What are the Dart Procedures?. https://alexandertechnique.movingmoment.com/what-are-the-dart-procedures/

Century of Nature, (2003). Raymond Dart and our African origins. https://press.uchicago.edu/Misc/Chicago/284158_brain.html


Academic:

https://www.ideals.illinois.edu/handle/2142/105559

https://books.google.com.br/books?hl=en&lr=&id=E4PZDwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PA257&dq=Raymond+Dart+developmental+movement&ots=bRKB7kVWfW&sig=5bWYsIP-uKguLLZhpgK22OuQH7A#v=onepage&q=Raymond%20Dart%20developmental%20movement&f=false

https://www.ideals.illinois.edu/handle/2142/105559

https://www.ingentaconnect.com/content/intellect/jdsp/2020/00000012/00000001/art00004


Recommend reading:

https://www.nationalgeographic.com/science/article/the-way-you-walk-is-tied-to-a-hole-in-your-skull